sábado, 21 de abril de 2007

O adormecido da esquina

Foi encontrado numa esquina
Em posição de ter sono agitado
Fome e frio não lhe despertam
Não tem em si mísera coberta
Foi encontrado numa esquina
Investimentos detrás os dentes
Fosse a sorte teria outra sina
Foi encontrado numa esquina
Com o peito inteiro crivado.

Ricardo Pozzo

Um comentário:

urbanoideiluminado disse...

É um poema homenagem à Rimbaud ou falta de imaginação?