sexta-feira, 25 de setembro de 2009

A gota

Desposara a esperança,
e agora viúva,
lembrava o tempo
de infância,
brincando na chuva.

Descalça, com demônios fala.
Sabe que não se dissolve
em água
quem a cotidiana
aridez humana
fez reter tanta mágoa.

Perdera de vez,
sob intransigente rudez,
sua inexprimível doçura.

Ricardo Pozzo

2 comentários:

Deisi Giacomazzi disse...

Muito bom!!!!!!!!!!!!!!!

Magamim disse...

uma jóia.
um arco-íris em gota de orvalho.
recuperou a doçura e tornou a lágrima doce.

Haribol