quinta-feira, 27 de agosto de 2009

SONETO D'AMOR

Se teu amor está distante ou perto
O tempo e seu relógio te dirão
Se existe amor e se não mais existe
Se existe amor e um dia se amarão

Teu coração pulou fora do peito
Se em tua pele amor e amor se amaram
O que foi feito foi e se foi feito
Vida e vida ali que se encontraram

Não só a descoberta foi um mundo
Sem amor os ossos enrijecem
É dele que frabricas teu sustento

É necessário amar-se Chega a hora
da alegria voltar a amar a face
Não há caminho para o esquecimento


Hamilton Faria em Encântaros

Um comentário:

twelvetribes disse...

QUE LINDO
TIVE MEDO
DE ESCREVER

NOTEI DUAS VEZES
QUE ESTAVA
SOLITÁRIO

NO ARMARIO
JOGUEI
A CHAVE FORA...