sexta-feira, 28 de agosto de 2009

está sendo difícil dormir esses dias parece que a insônia faz questão de me segurar por mais tempo como se cada segundo estivesse encarregado de anunciar nada mais e nada menos que essa ausência que já não sei mais se é minha ou sua só sei dessa vontade de estender o braço para agarrar algo e perceber no meio do caminho percorrido como um gesto tornou-se absolutamente em vão porque a real é que eu tento cara como eu tento e bato a cara no muro na rua eu saio emputecida e totalmente desiludida com a vida e com deus e comigo e com você e até parece que está escrito na minha testa o tamanho do meu pesar - eu e as escrotices do coração - anos e anos de terapia pra entender que "tem mais presença em mim o que me falta" mas se não fosse o colega letrado nunca me lembraria dessa certeza dilaceradamente viva que cresce feito erva-daninha pelo corpo dentro do peito faço o possível para evitá-la só que entenda meu bem falar sobre desamor é uma luta diária que frequentemente perco.

Sara Castillo

3 comentários:

twelvetribes disse...

Isso é medo de perder o público? É bom respirar e entoar um mantra de vez em quando. Colocar insensos na casa de perfume da sua preferência. Ler os livros que quizer ler, ouvir os discos que quizer ouvir e ter os amigos que quizer ter, na medida da ordem interna do sistema de natureza quantica. A gestalt nos fala de um momento de refazer o caminho, que é conhecer seus sentimentos em relação ao mundo. Então você acende insensos, vai à igreja, liga a televisão, revistas eróticas na medida da sua autonomia intelectual. Quando não suporta a dor da ausência procura um grupo de discussões que conheça o assunto. Então entende que a vida é passageira e temos que nos "agarrar a ela" como crianças desgarradas do ninho vivendo numa sociedade urbana, regulamentada pelas mesmas leis, que são o escopo da psicanálise.

twelvetribes disse...

O pcc já foi embora?

deisi perin disse...

quem?