terça-feira, 18 de agosto de 2009

O luto da poesia é branco.

11 comentários:

Iriene Borges disse...

E o fundo azul não ajuda!

Pó & Teias disse...

é branco e azul!

twelvetribes disse...

Engraçadinhos...

Pó & Teias disse...

a página em branco?

rp

twelvetribes disse...

Um período marsupial de gestação?

Iriene Borges disse...

gostei!!!

Giuliano Quase disse...

paz

deisi perin disse...

É branco no preto!

Pó & Teias disse...

Olha Peisi ,que eu chamo o MN, que estória é essa de branco no preto !
rzz
MC Negão

Angela Gomes disse...

De repente, do bolso

De repente, do bolso,
caiu-me o poema.
Um poema não escrito.
Que me lembrava um pássaro em vôo
para o azul mais inocente.
Um poema simples.
O poema mais puro.
Penoso era vê-lo assim,
pássaro branco, e cego,
sequioso de azul.

Alphonsus de Guimarães Filho
"Água do Tempo"

Pó & Teias disse...

Angêla!!!