segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Curitiba - entre a noite e o dia

7 comentários:

Anônimo disse...

ah! ...e olha q essa é uma foto da cidade...rsrs

Anônimo disse...

penultimo anônimo vc é muito engraçada(o)!!!!rsrrsr

Anônimo disse...

sim! isso é uma ameaça!

Giuliano Quase disse...

pozzo,
já que isto aqui não passa de uma gafieira, e eu não estou me queimando, vou escandalizar em público:

você virou fantasma?

twelvetribes disse...

A gente se sente mais forte em grupo, em tribos, em qualquer coisa. Acho que quando resolverem esse assunto a gente vai poder passar mais tempo junto, casar, ter filhos e contar histórias pros netos. Gostei da foto. O por-do-sol está "sulfúrico" sempre.

Anderson

Iriene Borges disse...

hahahahahahaah
Na verdade o luto é para o Wilson, que também não morreu, só bateu em retirada. Mas estou certa que logo voltará ( sem lençol)
É também pela desordem atual...

Quando o pozzo morrer haverá uma procissão de viúvas carpideiras passando em frente à sua janela cinco minutos depois. Umas se debulhando em lágrimas e outras cuspindo no defunto. Dai tire o cadáver do alcance delas pq todas quererão levar um pedaço, independente do própósito. Nesse meio tempo tempo eu já teria feito 1/2 minuto de silêncio e uns versos sobre o desconcerto do mundo...

Ah, a frase é de um poema que "supus" antes da balbúrdia. Não conclui e me pareceu pertinente....

Giuliano Quase disse...

iriene,

talvez até eu seria uma viúva abandonada pelo pozzo.

o pozzo nos paga.