quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Nada novo, de novo

"Os belos serão os bélicos!
Elmos no lugar de cérebros!"
Homem de Ferro; Sergio Viralobos e Marcos Prado

É tensa a ordem da primeira
fila no front abarrotado
de almas esfaceladas
ao primeiro toque
do clarim

Ausência de sono,
ausência de fome;
cão que ladra morre

A qualquer momento,
o soar do segundo toque.

É erro a insistência
da coragem
desprovida de medo.
Averiguar
a equipagem
sabendo que ela
nada garante.

Segundo toque! Avante!

Ricardo Pozzo

8 comentários:

Anônimo disse...

mt bom, mt bom!

adorei o "cachorro que ladra morre". o fim tbm é ótimo.

r.m.

Magamim disse...

me lembrou Hair
doce ilusão a ilusão.

Fabio Rocha disse...

cão que ladra morre!

Muito interessante esse blog! Abraços

Giuliano Quase disse...

sodados, para trás!

Grazzi Yatña disse...

"É erro a insistência
da coragem
desprovida de medo."

Ô!

RAUL POUGH disse...

Tuas últimas fotos andam muito ruins. Mas, depois deste poema, te perdoamos. Abç

Deisi Giacomazzi disse...

Muitíssimo bom!!!!

nozmotim disse...

é foda pensar que medo é sinal de vida e morte.