quarta-feira, 13 de abril de 2011

Mutamorphatriz

Íntima equestre
escravagista,
de perfil dadaísta,
ao seu dispor
para o que for

lógica, desafeto
& corrosão

abstrata figura
mutamorphatriz,

fronteira do abismo,
espécie rara & beleza,
plágio
da Realeza,
sem salvo conduto

& eu,

agrimensor
do absoluto

Ricardo Pozzo

3 comentários:

augusto meneghin disse...

genial este poema. como uma máquina: seca, fria, de corte preciso, mínima e eficiente. zeitgeist.

Vivo Angelo disse...

que metáfora

agrimensor do absoluto


abraço

Anônimo disse...

Também gostei muito do
agrimensor do absoluto
Forte!
Deisi