quinta-feira, 28 de junho de 2007

Litanias da desesperança e da pobreza

Litanias da desesperança e da pobreza.
Lágrima seca que embarga o coração...

para a possibilidade de um relacionamento,
de um envolvimento que poderia
deixar duas almas
mais próximas por algum tempo,
e não ter nada a oferecer para alguém,
a não ser a própria errância,
a própria confusão, o espólio de
uma andança sob um céu sem estrelas.

Onde o amor e o saber cada vez mais
são levados a uma jornada em territórios
de provações,inquietudes,amarguras...

Inóspitos ao anseio e para o proveito
de tranqüilas e doces sensações,
para o calmo deleite que embala fantasias.

Oh,os preços a serem pagos sem sabermos o porque...
em épocas que se estendem nos becos
e nas vias sinuosas da insignificância e da solitude.

Leandro Vicelli

8 comentários:

Pó & Teias disse...

Esse poema é de Leandro Vicelli

Anônimo disse...

para AMAR faz-se necessário amadurecer..."O amor é uma ação, um "erguimento", não uma "queda", é um poder humano..."Amor é preocupação ativa pela vida e crescimento daquilo que amamos"...
"No ato de amar de dar-me, no ato de penetrar a outra pessoa, encontro-me, descubro-me, descubro-nos a ambos, descubro o homem". O meio único de conhecimento completo esta no ato do amor:esse ato transcende os pensamentos, transcende as palavras:É o mergulho ousado na experiência da união. Preciso conhecer-me, e à outra pessoa, objetivamente afim superar as ilusões. Só se conhecer objetivamente um ser humano poderei conhecê-lo em sua essência ultima, no ato do amor. Quando o desejo sexual é inspirado pelo amor, falta à relação física a àvidez, a nescessidade de conquistar ou ser conquistado, mistura-se nela a ternura...
O q dá uma pessoa a outra? da de si mesma,do q tem de mais precioso,, dá de sua vida.daquilo q em si tem de vivo,; dá-lhe de sua alegria,de seu interesse,, de sua compreensão,, de seu humor, de sua tristeza- de todas as expressões e manifestações daquilo q vive em si. Não dá afim de receber, mas ao dar-se, não pode deixar de levar alguma coisa à vida da outra pessoa e isso reflete-se de volta no doador... O A mor é uma força q produz amor.

Anônimo disse...

Comentário sobre o amor,baseado na realidade do amor, de quem postou-o e no Livro a Arte de Amar de Erich Fromm.

Angela Gomes disse...

Leandro, belíssimo poema, doce e amargo.

Natália Nunes disse...

Triste.
Me lembrou a perspectiva do amor abordada no filme "Closer".

Anônimo disse...

Esplêndido!

Pó & Teias disse...

Muito bom, Leandro!!!!!
RP

Gil Vicelli disse...

O Leandro é um cara messiânico, pois tem ideologias avançadas!!!
Muito bom cara