terça-feira, 6 de setembro de 2016

A varanda é a mordida da casa
uma mordida de afeto que sangra.
Cai o pranto do dia num amargo.


Wilson Roberto Nogueira

2 comentários:

Anderson Carlos Maciel disse...

Nuances psicogênicas se observam nestas exóticas e abandonadas linhas. Sobre o desvelamento da forma acabada é indício de individuação: Espécie de afeto prosopopaico analógico sugere opinião velada sobre o culto à beleza e ao magnífico transcendente. Como se o expressionismo corajoso do autor reivindicasse a si, ainda, sentido pragmático formal ao texto, como individuação e personalidade, filosofia pertinente. A análise somática de textos poéticos é feita a partir do olhar do algoz. Pensa-se o intelectual como um guerreiro, máquina de destruir argumentos. Encontrei o cenário da letras curitibanas na penumbra de sentimentos de derrota, - expressionismo local-, penso que o cardápio é generoso (as escolas de poesia a serem visitadas) e a crítica constituiu um gênero textual em segundo plano. Reivindica ela a si a luz da poesia que não produz. Essa dinâmica elitista, - assim chamada - , por selecionar e excluir artistas constitui assunto perene na história das letras, mas não é o único...

Abraços da fluente luz universal racional superior.
Sucesso aos seus projetos e felicidade ao seu contexto.
Nunca deixem de escrever.

Assinatura electromagnética disse...

Muito sucesso para a sua escrita. Abraço. Maria Oliveira