sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Pássaros de asas mutiladas despencam em variáveis toneladas
por sobre a indigente face dos agrestes.

E vão-se aos ares vidas, entre paredes carcomidas no interior
de sépticos casebres.


Ricardo Pozzo

Um comentário:

twelvetribes disse...

Eu cheguei à cidade de Curitiba para morar na invasão Marumbi II, nossos pais lutaram com a polícia, fizeram instalações elétricas clandestinas e por aí vai. Hoje está tudo regularizado. Existia uma problemática que era o desmatamento. Era uma região onde estavam retirando areia das agoras conhecidas "cavas" próximo a São José dos Pinhais. Temos um problema que, mesmo após a regularização da documentação das moradias, ainda há tráfico de drogas, prostituição até mesmo de crianças. Conheçam os bairros Solitude, Jardim Ipê, Itiberê, Ouro Verde, Marumbi II. Vinte e cinco anos de pessoas do norte do Paraná em sua maioria que tentam equiparar-se aos 320 anos de história de Curitiba que muitos, imanentes do êxodo rural, recusam-se ainda a estudar... Ouço falar do blog nas ruas de Curitiba. Sucesso a todos nós, homens de ciência e letras, além de uma religião também entre tantas facetas do mesmo simbólico coletivo na multifacetada cultura brasileira. Gostaria de uma poesia nova a cada dia. Não conseguem escrever e atualizar diariamente o blog? Espero que tenham a meritocracia e jurisprudência dos direitos humanos, individuais e também os privados, - problemática vossa - , a ser contemplada. Luz paz e doce amor! Somos a nova Elite intelectual Curitibana. Falta a vocês, pretensos poetas como refletem a identidade cultural, a abordagem do cientista social do gabarito da UFPR, ciências humanas. Estamos aqui para isso. Educação de qualidade. Sou bacharel e licenciado professor de Filosofia. Recolhendo umas idéias para fazer o mestrado na mesma UFPR, na linha de pesquisa Filosofia Ética e Moral nos antigos estóicos. Saudades Ricardo, mesmo de teu comportamento social irracional muitas vezes, entendo teu contexto sociológico. Leia Émile Durkeim. Voltaire. etc. etc. etc. Ad hoc. Post scriptum.